ATENÇÃO! ESSE TEXTO TEM A CAPACIDADE DE SALVAR SEUS DENTES!

Não tem jeito! Sempre, sempre e sempre tem essa criatura que inventa de fazer algo cansado ou o “último movimento” no final do treino e acaba fazendo uma besteira, não é? E pior ainda, eu já fui esse cara e tenho certeza que você também! Assume aí! As vezes simplesmente não adianta. Por mais que o amigo diga “Mano, deixa pra lá. Faz outro dia.” O desgraçado vai lá e tenta assim mesmo. E o pior as vezes acontece: Ele faz e erra!

Meu interesse com essa postagem chata vai ser fazer você compreender o motivo disso ser tão perigoso e finalmente entender porque diabos no final dos treinos você não consegue fazer aquela precisão que já repetiu um milhão de vezes. O que acontece de diferente? Vamos lá investigar.

Para realizar uma precisão com sucesso, por exemplo, seu corpo precisa agir em sincronia, concorda? Não adianta simplesmente seus braços fazerem o trabalho correto e a sua perna não se mexer. Assim também como não adianta saltar, fechar os olhos e rezar pra cair no lugar certo. O seu corpo é dotado de uma espécie de GPS que te dá informação a todo tempo sobre o que cada pedacinho do seu corpo está fazendo: mesmo sem olhar, você é capaz de saber em que velocidade esta mexendo o braço, a perna, onde seu pé se encontra, qual a sua inclinação de tronco… Isso  se chama Propriocepção.

Agora que você já sabe que seu corpo tem esse aplicativo instalado dentro dele, eu preciso que você entenda um pouquinho sobre os músculos que revestem o seu corpo:

                                                  

Se você não conhecia, esse é o seu músculo. Note que ele é um emaranhando de fibras e que tem a capacidade de se esticar e de se contrair pra que você realize seus movimentos. Tomando a precisão de novo como exemplo, boa parte da impulsão que você adquire vem justamente desse movimento de contração e de expansão bem rápido que você faz.

Eu peço que você olhe de novo pra foto aí de cima e perceba que existem dois cordõezinhos no meio e que estão destacados com a cor verde. Esse é o chamado fuso muscular. É uma fibra especial que tem simplesmente a função de perceber o nível de contração, relaxamento e em que velocidade seu músculo se encontra. É ele que interpreta as informações que seu cérebro manda e que decide como seu braço ou sua perna vai agir.

Se você for um cara atento, já vai ter percebido que é justamente nesse ponto que eu quero chegar. Boa parte da sua propriocepção (sua capacidade de entender a localização espacial do seu corpo) vem das informações dadas por esse fuso muscular. E eis então que eu vou te mostrar agora um experimento que eu realizei em mim mesmo.

O teste foi feito da seguinte forma:

Fase 1 – Levantar o braço em 45 graus olhando pro ângulo na parede.

Fase 2 – Levantar o braço em 45 graus com os olhos fechados.

Fase 3 – Levantar o braço em 45 graus logo depois de ter executado uma série de 50 flexões e 20 elevações lateral de um peso de 2 kg.

Deu pra perceber que de um teste pro outro houve diferenças não é? Em todos eles eu tinha absoluta certeza de estar com o braço levantado em 45 graus, mas não estava.

Na fase 1, com os olhos abertos, eu consigo atingir bem próximo dos 45 graus. Na fase 2 do teste, eu fui um pouco pior mas ainda deu pra dar uma enrolada: atingi 40 graus e parte dessa culpa é o fato de eu não ter um ponto de referência pra me basear.

Agora na fase 3 é onde o bicho pega! As flexões e as elevações de peso que eu fiz tinham por objetivo cansar os meus músculos (o mesmo que você faz com seu corpo todo durante o treino de Parkour). Apenas 34 graus!! Eu dei tanta informação ao meu fuso muscular, foram tantas contrações e relaxamentos seguidos, que a comunicação dele com o cérebro ficou cansada. O fuso muscular já não consegue agir mais com a precisão de antes. Então o cérebro diz: “Músculo, suba até 45 graus!” e o fuso muscular responde “Ah meu deus, eu tô todo confuso mas eu vou tentar. E aí, deu certo?”.

NÃO, MÚSCULO! NÃO DEU! E O BABACA VAI LEVAR UM TOMBO POR ISSO!

Quem treina Parkour (e principalmente aqueles que possuem uma movimentação mais avançada) sabem o quanto 1 único grau interfere na sua precisão, no seu cat ou na sua passada. Muitas vezes, um erro desses pode custar uma canela aberta ou um braço quebrado. Você sabe que tem a capacidade de fazer. Você já fez aquilo milhões de vezes. Mas seu fuso muscular precisa de um tempo para se recuperar, cara! Ele precisa respirar um pouco e então voltar a trabalhar normalmente depois de um estímulo tão grande (como é o treino).

Esse teste bem rápido foi realizado somente com uma articulação… imagina agora numa situação de treino de Parkour quando meu corpo tá todo cansado? Os fusos musculares tudo maluco mandando informação de angulação errada para todas as partes do corpo! Então meu amigo, da próxima vez que estiver treinando, pense um pouquinho nessas paradas. Agora você já não tem como dizer que não sabia!

Final de treino é o momento de você se voltar mais para aquilo que não vá te oferecer muito risco. Porque sua capacidade de reagir aos obstáculos já não é mais a mesma do início. Você tá cansado, peste! Mesmo que não queira assumir ou que não sinta isso, você está cansado! Então não custa nada pegar mais leve e realmente deixar pra uma outra hora aquela “última precisão”.

Faça dessa última precisão uma das primeiras do seu próximo treino. ;)

Eu espero que tenha conseguido trazer uma informação importante sem ter bagunçado muito a sua cabeça. E espero que essa garotada toda se machuque cada dia menos! Afinal de contas, ninguém treina Parkour querendo perder sangue, dentes e quebrar ossos né?

Do you bleed? As vezes só se você quiser.

Agora: rua! Saia daqui e vá treinar! Abração!