Postei esta mensagem no facebook Parkour SP, em relação ao protesto no ART OF MOTION.

Não acho que seja o melhor lugar para postar isso, mas acho que é onde o maior numero de pessoas vão ler e ter acesso a essa mensagem, e quero que todos leiam com calma e sem emoção. Apenas leiam e reflitam.

Para os que não sabem quem sou, uma breve explicação:

Sou um dos mais antigos praticantes de Parkour deste país, se não o mais antigo(em atividade). Fui a 3a pessoa a entrar na hoje gigantesca comunidade Le Parkour Brasil, e nessa época, eu já treinava a um bom tempo. Junto com Eduardo Bittencourt, e outros dois ou três, posso ser considerado um dos primeiros praticantes desse país, se não o primeiro. Fundei a ABPK que hoje é presidida pelo Eduardo Rocha(Duddu Rocha) , e sou atual vice-presidente da associação (eleito na ultima conferencia no dia 30/7) . Em alguns meses completo 8 anos de Parkour na minha vida.

Não descordo em nenhum momento da vontade de todos vocês se manifestarem contra algo que acreditam estar errado, muito pelo contrário, sempre estimulei que os praticantes protegessem nossa arte e nossos ideais. Eu fui o primeiro dos caras chatos quanto aos ideais do Parkour nesse país, e com todo mundo para formar o ideal que temos de Parkour hoje. Eu fui o primeiro a dar a cara a tapa por dizer que mortal não faz parte do Parkour, e que Parkour não tem competição. Quem tem mais tempo de Parkour pode contar para vocês como era.

Na noite do evento Red Bull – Art of Motion, foi feita uma tentativa de protesto que mobilizou um bom numero de tracers, e um outro numero maior ainda de pessoas que não faziam a mínima ideia do que estavam fazendo. No momento eu assistia pelo livestream o evento, e só vi as pessoas subindo na estrutura no que eu achei então que fosse algo programado, alguma coisa que fosse parte do evento. Até que vi as mascaras e em meio a toda bagunça vi que tinha algo errado, mas não consegui identificar.

No final vi o Gabriel Pipolo pedindo para ninguém entrar mais e tentando fazer com que as pessoas saíssem da estrutura montada pela Red Bull para o Art of Motion, e entendi que foi uma ação que não fazia parte do evento. Mas se vocês assistirem o vídeo sem a emoção do momento, vão notar que não fez diferença nenhuma no andamento do evento para os que assistiam, foi uma ação completamente inútil, realizada da forma que foi realizada. Ninguém a não ser vocês sabem o que queriam, o que aconteceu, e muito menos o motivo de tudo aquilo.

O Evento foi primariamente realizado pela Red Bull, mas existiu um apoio massivo da comunidade Brasileira para tudo aquilo acontecer. Todos vocês ajudaram o Red Bull Art of Motion a acontecer. Quando soubemos (isso incluí TODOS os primeiros que subiram mascarados na estrutura) soubemos do acontecimento do Art of Motion, a primeira coisa que chegou para a gente foi a decisão se ajudaríamos ou não. Todos colocamos os nossos pontos, mas assumimos que ajudaríamos. Apesar de não gostarmos do formato do evento e competições, sabíamos que não poderíamos deixar o evento correr solto, sem observação de alguém da real cena do Parkour/Free Running nacional. E assim como foi, o evento teve a melhor repercussão possível, se não estivéssemos envolvidos (mesmo que alguns apenas dando opiniões), tudo seria inevitavelmente pior.

Tínhamos AMIGOS participando da competição, e sendo apoiado por nós. O comentarista do evento é uma das pessoas mais legais do Parkour de são paulo, e sem dúvida alguém que não gostaríamos de prejudicar. Um dos jurados, Jean Wainer, é um dos maiores responsáveis por todos os grandes projetos envolvendo Parkour no país, a pessoa que pelo menos nos últimos 4/5 fez vocês mais perto do sonho e dos ideais que buscam. Pensem em todos os grandes eventos de são paulo, agora pensem onde estaria a comunidade se eles nunca tivessem acontecido, A Revolução Ilabaca fez praticamente uma entrada de uma nova era, não teria sido possível.

A Manifestação, Protesto ou ação feita ontem foi tão controversa, que não consigo nem explicar abertamente o tamanho da incoerência. As mesmas pessoas que estavam venerando os competidores e os gringos, felizes para irem ao evento, treinando nas estruturas construídas para a competição. Pessoas que se inscreveram e queriam estar presente e competindo. Logo em seguida manifestando contra tudo aquilo que apoiaram. Não faz sentido.

Durante a invasão vimos um festival de acrobacias soltas, pessoas saltando pela estrutura sem propósito, e uma quantidade de atitudes que não condizem com o ideal que dizem proteger. Nada mais estranho do que ver alguém dando um “Devil Drop” para protestar contra competições no Parkour, se entende o meu ponto.

O que fizeram ontem vai sim ter impacto. A organização do evento foi questionar ao nosso amigo, porque as pessoas que estavam apoiando o evento, e até ajudaram, estavam fazendo aquela arruaça. O responsável do governo de são paulo pela Virada Esportiva também estava lá, também ficamos queimados, e podemos perder o melhor evento de Parkour que possuímos, e quem sabe todos os outros eventos com apoio do governo.

Quem vocês queriam atingir não sofreu e não vai ter nenhum reflexo da ação de vocês. Mas a comunidade brasileira de Parkour, corre o risco de perder muita coisa a partir disso. Nossos amigos que eram contratados da Red Bull foram pessoalmente cobrados pela ação de vocês. Vocês sacanearam amigos de vocês.

Não estou falando que concordo com tudo o que aconteceu, com essa associação do nome Parkour e competições, também temos os meus ideais. Mas tudo o que sempre falei, tudo o que sempre tentei fazer nesses quase 8 anos de Parkour, foi mostrar que não somos moleques. Não somos vândalos. Tentei durante todo esse tempo mostrar para o País que os praticantes de Parkour tem orgulho de serem boas pessoas. Agora vocês se igualaram aos vândalos, que fazem tudo para chamar atenção e fazer bagunça. Vestiram-se de um ideal muito bom, mas que aparentemente entendem de forma rasa todo o resto desse ideal.

Eu acho que vocês devem pedir desculpas para alguns amigos hoje.