Recentemente uma discussão na comunidade Parkour Brasil do Orkut, fez ressurgir o debate sobre qual critério usamos para definir o que é Parkour, sendo eles o criador David Belle, até o que as pessoas que nos vêem de fora acham que estamos fazendo.

É muito complicado entrar em uma discussão desse nível sem ferir alguns conceitos alheios, qualquer uma das posturas que você tomar pode bater de frente com a opinião de outra pessoa que assim como você tem uma própria história dentro do Parkour, e  como todos nós ajudamos a criar isso que existe hoje, cada um dos pouquíssimos praticantes que existem por ai são parte integrante dessa criação, dia após dia recriamos o que David Belle fez, recriando o que seu pai ensinou, e dessa forma todo dia o Parkour se reinventa, e vai ser assim por muito tempo.

Mas o Parkour tem uma base, uma base solida, baseada no utilitarismo militar e na habilidade corporal. a plena capacidade de sair de situações de emergência e se preparar para o hipotético,  o que pode um dia vir a acontecer, ou pode nunca acontecer. Fomos doutrinados por histórias e documentários à estarmoa preparados para tudo, e para nada, sermos super-herois incrivelmente fortes simplesmente pela possibilidade de um dia precisar dessas habilidades, motivados apenas pela semente de uma idéia.

O que David Belle criou foi um objetivo ideal, esse objetivo de atravessar obstáculos foi batizado de Parkour. Uma modificação da palavra Parcours para demonstrar eficiência, e ausência de elementos desnecessários.  E mesmo que recriemos todos os dias a prática, enquanto seguirmos esse espirito, e essa idéia isso será o Parkour, criado por David Belle, Inspirado por seu pai Raymond, com Bases do utilitarismo herdado do Método Natural. Mas sempre o Parkour de David Belle.

Várias outras pessoas fizeram parte dessa história e todas tem seu crédito e seu mérito, mas devemos preservar a idéia do Parkour de forma que não se modifique a estrutura da prática, uma atividade que já nasceu excluindo o desnecessário e o inútil, e impondo sua agressividade em cima do próprio nome, é constituída por um aspecto físico e mental muito forte, mas que deve ser preservado para que sua base original não seja alterada, e assim deixe de ser Parkour, para ser Parcours, ou qualquer outro nome menos agressivo, menos eficiente, e menos Parkour.