O Parkour, algo que não se pode simplesmente explicar, é necessário viver por um certo tempo para realmente entender o que significa esse nome. Pegue várias “definições” do parkour e junte em um pequeno texto, como:

Intenso treinamento para uso utilitário, adaptável a qualquer

indivíduo, obstáculo ou ambiente, em percurso onde se corta caminho

entre dois pontos da forma mais rápida, fluida e segura possível,

visando a auto-preservação e o altruísmo . Valendo-se apenas do

próprio corpo como ferramenta, por meio do alto nível de controle

físico e mental, que surge pela interação entre corpo e mente de forma

livre. Sendo tal controle a essência e o objetivo do treinamento.

Pode até ter ficado interessante, mas ainda assim não explica o que realmente é o Parkour de forma completa. Pois somos uma nova geração!

Não somos os Provos da Alemanha, nem os Hippies dos anos 60. Somos Tracers, espalhados pelo mundo inteiro! Mesmo que o mais antigo de nós esteja beirando os 40 anos, o que acreditamos é lógico e claro desde quando o homem surgiu na terra. Uma lógica super inerente da essência humana, seja em seu estado natural ou social, seja pelo enfoque das pulsões de vida e de morte como Freud escreveu, seja pelo aprendizado na experiência própria de Rousseau, seja pela não-agressão de Gandhi, ou seja na história do bom samaritano de Jesus. Não importa a cultura, a religião, ou a etnia, todo tracer evolui de forma comum, como humano!

Como evoluímos, e aceitamos viver o “Ser e durar” + “Ser forte para ser útil”, agora temos novas responsabilidades. Responsabilidades ligadas a sociedade, com o altruísmo, a preservação, etc. Seguindo esse pensamento, por sermos os seres fortes, não somos apenas indivíduos em um ambiente, somos os responsáveis por mudar as situações com as quais não nos conformamos.

Entenda tudo que eu disse como um conselho, para todos e para mim!

Uma verdadeira apologia aos Parkour e a evolução. Por que está parado? Mudar o mundo depende de você!

MOVIMENTE-SE!

Abraço!