Tradução de Guilherme Salomão.

Movimento é muito parecido com linguagem: para ser capaz de utilizá-la, você precisa entender o alfabeto, saber como organizar essas letras em palavras e então combinar essas palavras, usando gramática e sintaxe, para criar frases. As letras sozinhas são inúteis. Somente frases permitem fluência e função, da mesma forma que frases incompletas e mal formuladas, mal escritas e construídas, são toscas, confusas e ineficientes.

O mesmo ocorre com o movimento. Atributos físicos básicos do ser humano – força, mobilidade das articulações, flexibilidade, capacidade, equilíbrio etc – são as letras do movimento. Essenciais, mas que se deixadas em isolamento e nunca combinadas são inúteis.

Combinando-os temos as palavras – biomecânica saudável, modelos e cadeias cinéticas, vias neuromusculares consistentes. Mas, novamente, palavras sozinhas são formas limitadas, somente se tornando úteis quando colocadas em contexto.

Para sermos verdadeiramente funcionais em uma linguagem, assim como em nosso movimento, nós precisamos ser capazes de formar frases inteiras. Sequências de palavras usadas em uma infinita variedade de combinações que podem ser aplicadas a qualquer situação. Infinitamente adaptativas, criativas e eficientes. O real propósito da linguagem. E qualquer linguagem só se prova útil quando é colocada à prova como uma ferramenta de comunicação, sendo as melhores linguagens aquelas que conseguem se adaptar a qualquer cenário. Semelhantemente, só sabemos realmente se nosso movimento e treinamento físico são úteis quando eles são postos à prova. O teste é o desafio posto pelo verdadeiro treinamento funcional, o desafio posto pelo Parkour. Resumindo: suas habilidades físicas funcionam?

Infelizmente, muitas vezes nós vemos paradigmas limitados de treino que só focam realmente na formação de letras. Na melhor das hipóteses, esses paradigmas conseguem juntar algumas palavras – mas pouquíssimos métodos de desenvolvimento físico chegam ao ponto de criar frases de movimento e, dessa forma, eles falham regularmente em criar indivíduos capazes que consigam aplicar seus atributos a qualquer tarefa física que eles possam encontrar.

Ser verdadeiramente funcional significa ser completo, ser bom no que for geral. Ou, melhor, um especialista em tudo. Ter uma super mobilidade mas zero de força é uma situação tão incompleta quanto ser super musculoso e não ter a mobilidade e flexibilidade adequadas. Ter braços poderosos, mas um punho fraco é tão problemático quanto ter os músculos da perna super fortes, mas quadril e tornozelos limitados em suas amplitudes de movimento.

Parkour irá explorar cada um de seus atributos físicos (e alguns mentais também) e os colocará à prova. Ele irá revelar os pontos fracos e fortes de uma pessoa e mostrar que você só é tão forte, e tão funcional, quanto for sua articulação mais fraca na sua cadeia cinética.

Ele irá identificar as letras que faltam no seu alfabeto, preenchê-las, e então explorá-las na formação de novas palavras poderosas e que irá te ajudar a expressar sua movimentação em frases completas. Parkour irá lhe ensinar a fluir de palavra em palavra, a dominar a gramática e sintaxe que conecta um movimento ao outro e, por fim, lhe dar total controle sobre seu potencial físico.

Só então sua movimentação se tornará poesia.

 Texto original:
http://www.parkourgenerations.com/blog/language-movement