Existem coisas que entristecem, recentemente divulgou-se um belíssimo video com parkour limpo e seco, sem enfeites, mostrando todo potencial e eficiência que a prática pode mostrar, é simplesmente LINDO.
E dentre uma dessas comunidades onde o video foi disseminado eu vi um comentário que reflete totalmente meu medo em cima da aceitação de giros no Parkour, e que me fez lutar contra acrobacias anos e anos da minha vida, até ser um pouco radical e extremista eu diria, mas ninguém me ouviu na época.

Meu maior medo quando começamos a tratar  giros como Parkour foi, associar a prática diretamente aos movimentos ineficientes, e que com o tempo uma coisa acabasse sendo parte da outra mudando o foco do Parkour como foi desenvolvido. Os argumentos eram sempre que todos sabemos o ideal do Parkour, mas que durante os treinos não tem nada demais girar, e eu CONCORDO, mas quem está chegando agora não esta entendendo mundo bem do que se trata. Toda ação tem uma consequencia, e essa foi a consequencia da nossa Liberdade de movimentos.

Ao ler alguém questionando a falta de giros em um video lindo, com um Parkour simples, leve , e eficiente, vejo como o que era pra ser um “atrativo dos vídeos”, acabou se tornando parte integrante, e o que era pra ser normal, não ter giros nos videos, acabou sendo diferente e questionado. Acrobacias devem ser a “Pimentinha” do Parkour, só para sair da mesmice dos treinos, brincar com algo um pouco mais complexo, trabalhar um pouco da coordenação, mas nunca ser o objetivo dos treinos…

Ou você acha que os vídeos do Damian Walters realmente são vídeos de Parkour?

Que tal uma campanha, mais Parkour menos giros? (pelo menos nos vídeos).

Abraços

O video citado no post:

please install flash